Frete Promocional Estado de São Paulo R$ 7,50. Antes de fazer o pedido, veja prazo para envio

FRETE PARA TODO ESTADO DE SÃO PAULO - SOMENTE R$ 7,50. Antes de fazer o pedido, veja prazo para envio

Carrinho 0

Fatores que influenciam na saúde do cabelo

Postado por Taisi Datovo em

A queda de cabelo é um processo natural do organismo. O fio passa por estágios que vão desde o crescimento, estabilização e queda natural. O primeiro ciclo dura em média de três a seis anos, o segundo dois anos e o último, três meses. Além disso, uma pessoa saudável pode perder de 60 a 100 fios de cabelo por dia.

Mas é preciso ficar atenta aos sinais, pois a queda de cabelo pode significar algum problema de saúde. Vale investigar o motivo da queda e buscar um tratamento adequado.

Separamos alguns fatores que influenciam a queda para ajudar a identificar a causa e buscar o tratamento adequado, confira:

1 - Estresse

O estresse físico ou emocional é um dos causadores da perda de cabelo. Isso porque o cérebro libera substâncias que levam a queda quando é obrigado a passar por longos períodos em estado de alerta.

2 – Genética

O maior causador da queda capilar, especialmente nos homens, é o fator genético. A calvície ocorre quando os folículos pilosos são estimulados por hormônios masculinos, resultando em diminuição do ciclo de crescimento dos fios até que ocorra a interrupção total.

3 – Falta de Vitaminas (ou excesso)

A falta de vitamina como o ferro, ou o excesso de vitamina A, por exemplo, podem acarretar na queda de cabelo. Este problema é facilmente resolvido com uma alimentação equilibrada, tendo seus resultados percebidos logo nas primeiras semanas.

4 – Doenças e perda de peso repentina

Quando a pessoa passa por uma doença onde o seu metabolismo precisa trabalhar arduamente em busca da recuperação, é comum acontecer a queda de cabelo. Isso porque o corpo desvia sua energia para atividades “menos vitais”, buscando atacar a doença. O quadro de queda capilar tem sido bastante observado em doenças como a COVID-19, dengue e influenza. A mesma manobra do organismo acontece com a perda de peso repentina, que rouba as vitaminas distribuídas para funções menos vitais, como cabelos e unhas, para destinar os nutrientes ao pleno funcionamento do corpo que agora recebe menor ingestão de “combustível”.

5 – Pós-parto

Durante a gravidez há uma alteração nos hormônios, que causa uma interrupção na queda capilar. Depois que o bebê nasce, cerca de três meses após o parto, os hormônios voltam a se regular e todo aquele cabelo que não havia caído, enfim, cai. Neste caso, há a sensação de uma queda excessiva. De qualquer forma, no período pós-parto, algumas mulheres podem ter os hormônios desregulados devido à amamentação. Por isso é importante o acompanhamento médico para verificar se a fase de amamentação não está “roubando” suas vitaminas para destinar à alimentação do bebê.

Outros fatores como metabolismo, hábitos alimentares, medicações específicas e até oleosidade também podem ocasionar a queda de cabelo excessiva.

Por isso, é imprescindível a consulta com um médico especialista. O profissional mais indicado é o dermatologista ou tricologista. Na consulta, o médico vai avaliar os fatores causadores do problema.

Assim, é possível questionar qual a frequência da queda de cabelo, se existe uma área específica da queda, quais são seus hábitos, qual tipo de produto usa e se existem outros sintomas. Sobretudo, o tratamento indicado pelo profissional dependerá da avaliação médica, que determinará quais são as causas da queda capilar.


Compartilhe esta postagem



← Post anterior Post seguinte →